Introdução a Microbiologia

Introdução a Microbiologia

Vamos abordar neste artigo uma breve Introdução a Microbiologia falando de marcos, história e algumas curiosidades também sobre este tema.

Animálculos o que esta palavra tem haver com a Microbiologia?

Introdução a Microbiologia

Em 1674, um senhor chamado Antony Van Leeuwenhoek conseguiu adaptar o microscópio para utilizá-lo na área da ciência. Após finalizar, verificou diversas amostras distintas como seres vivos pequenos, solo, rio, fezes, saliva, etc. O que ele observou chamou de “animálculos“.

Animálculos – Animal muito pequeno, visível somente ao microscópio

Todas as visualizações descobertas com a ajuda do microscópio foram escritas, documentadas e enviadas para Royal Society (Londres) para que o mundo conhecesse ou pelo menos soubessem da existências desses seres.

A Teoria Abiogênese cai!

Introdução a Microbiologia

Antonie van LeeuwenhoekSem sombra de dúvidas, após esta importante descoberta Antony Van Leeuwenhoek conseguiu de forma indireta acabar com por vez com a Teoria da Abiogênese.

A comunidade da época acreditava que esses seres vivos surgiam de decomposições de plantas ou seres vivos.

Todavia, devemos lembrar e dar créditos também a Louis Pasteur que realizou dois experimentos contra essa teoria (1861).

1 – Experimento:

Foram separados alguns frascos e neles foram fervidos caldo de carne. Alguns frascos ficaram abertos e em poucos dias foi observado que todos estavam contaminados (microrganismos); já os frascos que foram fechados ficaram sem contaminação.

A conclusão foi de que os microrganismos estavam em toda parte, até no ar e assim acabaram contaminando os frascos abertos.

Louis Pasteur2 – Experimento:

Realizando praticamente o mesmo experimento de antes, neste o diferencial foi o frasco com um pescoço em formato de S.

Porém, levou meses e nada mudou, concluindo assim que esse formato impedia os micróbios presentes no ar de contaminar o caldo de carne.

Louis Pasteur e a pasteurização

Foram diversas vezes que Louis Pasteur contribuiu para a Microbiologia, tanto com trabalhos novos como teorias.

Um exemplo foi a Teoria microbiana da fermentação, onde ele conseguiu explicar a contaminação durante o a fermentação por álcool. No caso, foram localizados microrganismos denominados de leveduras.

Esses micróbios convertiam o frutose das frutas em álcool quando o oxigênio estava ausente. Já quando tinha oxigênio os microrganismos eram outros e as bebidas azedavam transformando em ácido acético (constituinte principal do vinagre).

Para resolver o problema dos comerciantes e até dos produtores de vinhos Pasteur ferveu as bebidas. Assim matou os microrganismos que azedavam e assim esse novo experimento recebeu o nome de Pasteurização.

Então, Deus não castigava os humanos?

Introdução a Microbiologia

Segundo os cientistas da época, não! Após o processo de Pasteurização, alguns pesquisadores alertaram que os micróbios poderiam ocasionar ou ter algum tipo de relação com as doenças (humana e animal). Este clamor virou teoria e foi chamado de Teoria Microbiana da doença.

Em 1841, Ignaz Semmelweis, atesta a transmissão de microrganismo por contato direto e consequentemente o surgimento de alguma enfermidade.

Obviamente que isso ocasionaria um fervor, visto que a sociedade era muito religiosa na época e o ato de adoecer era uma punição dos pecados enviada por Deus.

Porém, somente no ano de 1876 um médico chamado Robert Koch conseguiu provar essa relação de micróbios e as doenças. Com quatro postulados (e três modificações):

1 – Postulado:

Todos os microrganismos estavam presentes todos os enfermos;

2 – Postulado:

Os microrganismos necessitavam de um registro por características, em uma cultura nativa para crescimento e isolamento;

3 – Postulado:

Após isolado e inoculado em plantas sadias, devem causar doenças ;

4 – Postulado:

Reisolamento do patógeno para averiguar suas características.

A classificação das bactérias teve seu início em 1875, nessa classificação estava a identificação da Neisseria gonorrhoeae – primeiro patógeno de doença crônica, por Ferdinand Cohn.

Modificações nos postulados:

Foi descoberto o vírus (não crescem em culturas);

Alguns tipos de doenças surgem de mais de um microrganismo;

Diversos microrganismos causam várias enfermidades distintas.

Fenol (C6H5OH) para cirurgias

Introdução a Microbiologia

Um médico inglês, no ano de 1860, chamado Joseph Lister concluiu que a grande maioria (pelo menos) dos processos infecciosos proviam de microrganismos que estavam no ar.

Então, baseado nesta conclusão criou uma forma de desinfectar o campo operatório com uma vaporização de Fenol (ácido fênico) na região em que seria realizado o procedimento.

O primeiro teste aconteceu em 1865 em uma criança com fratura exposta. Visto que foi rendeu um excelente resultado para a época, diversos médicos adotaram esta técnica e a redução de mortes pós-operatória por infecção foi comprovada.

Algum tempo depois, Alexander Fleming, médico e bacteriologista, verificou que o Fenol ocasionava mais problemas no glóbulos brancos que nos microrganismos.

Para tentar solucionar essa questão começou usar salmoura. Fleming acreditava que o a defesa humana necessitava de uma atenção especial.

Eureka! Penicilium

Introdução a Microbiologia

No ano de 1928, Alexander Fleming, realizou um experimento com Estafilococos. Ao perceber que uma das placas tinha fungo diferente e que envolta dele, micróbio não crescia. Esse fungo estudado mais profundamente recebeu o nome de Penicilium.

O Penicilium produzia uma substância com capacidade de inibir o crescimento de vários microrganismos. Após realizar essa experiência diversas vezes percebeu também que evitava o crescimento de micróbios causadores de enfermidades. Mais tarde essa substância foi chamada de Penicilina.

O marco da Terapia antimicrobiana foi em 1939 ao ser descoberto as sulfonamidas por Gerhardt Domagk.

Já em 1940 começa a produção da penicilina para uso clínico.

Ignaz Semmelweis e os partos

Introdução a Microbiologia

Esse médico que já falamos anteriormente, neste artigo, teve a brilhante dedução de que a falta de higienização das mãos ao realizar partos causava sepse puerperal.

Obviamente que a medida que a técnica começou a ser adotada pelos profissionais da época, a redução no índice de óbitos (por essa causa) aconteceu de forma proporcional.

Linha do tempo resumida, uma introdução a Microbiologia

Introdução a Microbiologia

Sem data específica: Os Egípcios usavam esporos de Aspergillus para proteger tumbas.

1000 a.C.: Descrição da lepra (bíblia).

600 a.C.: Alguns tipos de carne tiveram o consumo proibido (bíblia).

400 a.C.: Na Grécia, um historiador chamado Tucídides percebeu que os sobreviventes da praga conseguiam cuidar dos enfermos.

50 a.C.: As pessoas na China usavam sandálias mofadas para conter infecção bacteriana nos pés.

100 d.C.: Marcus Terentius Varro, filósofo de Roma, acreditava que pequenas criaturas de terminados locais entravam no corpo causando enfermidades.

1665 – A primeira visualização de uma célula foi realizada por Robert Hook.

1668 – Frascesco Redi comprovou que as larvas vinham de ovos de insetos na carne.

1673 – A primeira visualização de microrganismo vivo foi realizada por Anton Van Leeuwenhoek. Descoberta do microscópio.

1745 – John Needham cozinhou carne para eliminar microrganismos, após depositou em frascos abertos. Após algum tempo percebeu que novos microrganismo estavam presentes. Então a conclusão foi de geração espontânea.

1769 – Neste ano Lazaro Spallanzani, cozinhou carne excluindo o ar. Foi reforçado assim que a força vital necessária para isso acontecer foi removida, no caso, o ar.

1796 – Nesta data foi criada a primeira vacina por Edward Jenner.

1836 – Franz Schulze, realizou um experimento passando o ar por uma solução de ácido antes de colocá-lo no caldo de carne. Os microrganismos não surgiram.

1837 – Theodor Schwann, fez um experimento parecido, passou o ar por um tubo aquecido. Também não surgiu micróbio.

1860 – Joseph Lister, cria uma técnica asséptica com Fenol.

1861Pasteur provou que a Teoria da Abiogênese estava errada.

1864Pasteur cria o método de pasteurização.

1876 – A Teoria do germe da doença foi apresentada e idealizada por Robert Koch.

1880 – Louis Pasteur, realiza um experimento com bactérias causadoras de cólera aviária em dois grupos de galinhas. Após verificar que um grupo ficou imune denominou as culturas avirulentas e o processo de imunizar de vacinas.

1881 – Através de meio de cultura realizou-se a cultura (crescimento) de bactérias por Robert Koch.

1884 – Criado o método Gram de coloração bacteriana por Christian Gram.

1885 – Em Hamburgo, Adolph Lutz (brasileiro), começou a investigação contra o bacilo da lepra.

1887 – A placa de Petri é criada por Petri.

1890 – Theovald Smith, após comprar que um tipo de protozoário é um parasita intracelular de insetos, foi possível a partir disto novas pesquisas sobre enfermidades microbianas transmitidas por artrópodes.

1900 – Walter Reed, em pronunciamento constatou que o mosquito era apenas um hospedeiro ao parasita da febre amarela e que a doença se propagava pela picada deste inseto.

1903Oswaldo Cruz foi nomeado Diretor Geral de saúde Pública (Brasil).

1907Oswaldo Cruz, em seu pronunciamento informou que a Febre Amarela foi erradicada (Brasil).

1909 – Paul Ehrlich, conseguiu criar um composto sintético efetivo contra sífilis e somando-se mais há alguns trabalhos sobre anticorpos ganhou neste ano o prêmio Nobel.

1928Alexander Fleming descobre a Penicilina.

1932 – Gerhard Domagk, descobriu em meio a Segunda Guerra Mundial as Sulfonamidas ou sulfas.

1944Avery, MacLeod e McCartey afirmam que o DNA é material genético.

1953 – A estrutura do DNA é descomberta por Watson e Crick.

1962Edelman e Porter descobrem os anticorpos.

1981Margulis identifica a origem das células eucarióticas.

1983Kary Mullis, descobre a Reação em Cadeia da Polimerase (PCR).

2004 – Bessa, em uso para veterinária o controle microbiológico e refletido além da qualidade de vida aos animais, e sim, também, nas plantas industriais e na segurança alimentar feitos dos animais abatidos.

2005 – Pinheiro, evidencia que analisar microrganismos é importantíssimo na produção de alimentos.

2006 – Franco e Landgraf, falam que tratamentos para conservação com o uso de temperatura (especialmente o calor) são altamente relevantes para destruir e inativar microrganismos.

2007 – Silva, enfatiza que estudar a microbiologia do solo é altamente eficaz ao manejo agrícola sustentável, ou seja, será utilizado mais vezes e com menos degradação.

 

Separamos um vídeo sobre o assunto:

Para baixar:

Slides para apresentação em aula:

Pronto – GRÁTIS

E para finalizar, mais links sobre o assunto:

 

Referências:

Jornal Brasileiro de Patologia Médica Laboratorial- Antony Van Leeuwenhoek-Inventor do Microscópio, volume 45, n.2,2009.
Jornal Brasileiro de Patologia Médica Laboratorial-Alexander Fleming e a descoberta da penicilina,volume45,n.5,2009.
Instituto de Microbiologia Paulo de Goés UFRJ. A História do surgimento da Microbiologia: Fatos Marcantes. Disponível em: http://www.microbiologia.ufrj.br/portal/index.php/pt/destaques/novidades-sobre-a-micro/384-a-historia-do-surgimento-da-microbiologia-fatos-marcantes. Visualizado em 09 de março de 2017.
Dicio Dicionário online de Português. Animálculo. Disponível em: https://www.dicio.com.br/animalculo/. Visualizado em 09 de março de 2017.
TRABULSI, LR et al. Microbiologia. 3.ed. São Paulo: Editora Atheneu, 1999.
ROSSI, F; Andreazzi, DB. Resistência Bacteriana: Interpretando o Antibiograma. São Paulo: Editora Atheneu, 2005.
Portal Biomédico. Microbiologia: um breve histórico. Disponível em: http://portalbiomedico.net/microbiologia-um-breve-historico/. Visualizado em 10 de março de 2017.
KASVI. A história e os marcos da Microbiologia. Disponível em: http://www.kasvi.com.br/historia-da-microbiologia/. Visualizado em 11 de março de 2017.
PELCZAR, M.; CHAN,. E. C. S.; KRIEG, N. R. Microbiologia – conceitos e aplicações. v. 2.ed. São Paulo: Makron Books, 1996.
PRESCOTT, L. M.; HARLEY, J. P; KLEIN, D. A. Microbiology. 5. ed. Boston: McGraw-Hill, 2002. 1026p.
BESSA, M. C.; COSTA, M.; CARDOSO, M. Prevalência de Salmonella sp em suínos abatidos em frigoríficos do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 24, n. 2, 2004, 80 – 84.
FRANCO, B. D. G. M.; LANDGRAF, M. Manuale Métodos de Análise Microbiológica em Alimentos. 4 ed, São Paulo: Atheneu, 2006.
SILVA, M. B.; KLIEMANN, H. J.; SILVEIRA, P. M.; LANNA, A. C. Atributos biológicos do solo sob influencia da cobertura vegetal e do sistema de manejo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 42, n. 12, 2007, 1755 – 1761.
PINHEIRO, N. M. S.; FIGUEIREDO, E. A. T.; FIGUEIREDO, R. W.; MAIA, G. A.; SOUZA, P. H. M. Avaliação da qualidade microbiológica de frutos minimamente processados comercializados em supermercados de Fortaleza. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 27, n. 1, 2005, 153 – 156.
Portal Educação. A importância da Microbiologia na atualidade. Disponível em: https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/farmacia/a-importancia-da-microbiologia-na-atualidade/67815. Visualizado em 18 de março de 2017.

 

Se você gostou desse artigo, clique em algum dos ícones de compartilhamento abaixo para ajudar a divulgá-lo.
:)

Contato

Diego Lopes

Técnico em Enfermagem em Site
Formado em Técnico em Enfermagem com eixo tecnológico em ambiente e saúde.
Qualificação profissional em APH - Atendimento Pré-Hospitalar na qualidade de aluno.
Certificado de Honra ao mérito do Coren-RS como aluno que apresentou o melhor desempenho no curso.
Escritor nas horas vagas e fundador do site www.tecnicoemenfermagem.net.br.
Contato

Últimos posts por Diego Lopes (exibir todos)

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *