higiene íntima

Higiene íntima no paciente



Antes de falarmos dos procedimentos para higiene íntima no paciente, é importante relatarmos que o banho é uma atividade normal nas rotinas hospitalares, pois, além da remoção de sujidades que podem causar infecções ele transmite a sensação de bem-estar e conforto aos indivíduos.

Oferecendo assim, uma melhora biofuncional e fortalecendo a autoimagem… que convenhamos, é extremamente importante para os que estão em situação vulnerável.

Todavia é necessário salientar que essa atividade precisa ser avaliada com cuidado e planejada corretamente pelos enfermeiros para não causar mais danos à saúde dos pacientes.

A pergunta para ajudar a evitar estes danos é: qual sua situação clínica? Porque, em algumas situações de gravidade, a higienização completa não é aconselhada.

No caso de cirurgias cardíacas, por exemplo, não é recomendado nas primeiras quatro horas após o procedimento.

Algumas UTIs modernas possuem banheiro com chuveiro, para que o próprio paciente, se possível, possa tomar banho com privacidade, em pé ou sentado.

Um fato interessante é o tipo de sabonete, pois o pH deve estar de acordo com a pele para não retirar a proteção natural e abrir caminho para infecções. Indicamos os sabonetes neutros líquidos ou toalhas com soluções umectantes.

Banho não é apenas uma atividade para higiene, mas também uma ação terapêutica que estimula a circulação sanguínea, substituindo as atividades físicas.

Você sabia que:

  • • a higiene íntima deve ser realizada sempre após o ato de urinar ou evacuar.
  • • caso os pelos estejam grandes ou muito volumosos, devem ser aparados para facilitar a limpeza.
  • • deve secar cuidadosamente, evitando assim irritações, prurido e umidade, que podem contribuir para o aparecimento de lesões ou assaduras.
  • • se o paciente realizar ou auxiliar em sua higiene íntima, deve-se lavar as mãos dele ao término do procedimento.

Bom, após esta breve introdução… vamos agora a técnica utilizada e os materiais para realizar a higiene íntima feminina e masculina:

Higiene íntima no paciente

Feminina

Materiais

Balde
Jarra
Pacote de gazes
Comadre
Toalha de banho
Sabão liquido ou P.V.P.I. degermante
Luvas para procedimento
Hamper
Pinça auxiliar (Cheron)
Biombo
Forro e saco plástico



Técnica

  1. Identificar-se
  2. Explicar o procedimento a paciente
  3. Lavar as mãos
  4. Reunir o material e colocá-los sobre a mesa de cabeceira
  5. Calcar as luvas
  6. Trazer o hamper próximo ao leito
  7. Proteger a unidade com biombos
  8. Colocar a paciente em posição ginecológica, procurando expô-la o mínimo possível
  9. Colocar o forro sobre o saco plástico, colocando-os sobre a região glútea
  10. Colocar a comadre sob a região glútea da paciente, com ajuda da mesma
  11. Irrigar monte pubiano e vulva com água, despejando-a suavemente com o auxílio da jarra
  12. Despejar pequena porção de sabão liquido ou P.V.P.I. degermante sobre o monte pubiano
  13. Ensaboar a região pubiana com a pinça montada em gaze, de cima para baixo sem atingir o ânus, desprezando a gaze, apos cada movimento vulva – ânus
  14. Afastar os grandes lábios e lavar no sentido anteroposterior, primeiro de um lado, desprezando a gaze e depois do outro lado
  15. Lavar por ultimo a região anal
  16. Despejar a água da jarra, sobre as regiões ensaboadas
  17. Retirar a comadre
  18. Enxugar a região lavada com a toalha de banho ou com o forro que esta sob a região glútea da paciente
  19. Colocar a paciente em posição de conforto
  20. Desprezar as roupas (toalha, forro) no hamper
  21. Lavar a comadre no banheiro, juntamente com o balde e jarra e guardá-los
  22. Retirar as luvas
  23. Lavar as mãos
  24. Anotar no prontuário
Observação
Se houver presença de secreção uretral e/ou vaginal, utilizar gazes montadas na pinça auxiliar para retirar o excesso, antes de iniciar a limpeza com água e sabão liquido ou P.V.P.I. degermante.

Masculina

Materiais

Balde
Jarra
Pacote de gazes
Comadre
Toalha de banho
Sabão liquido ou P.V.P.I. degermante
Luvas para procedimento
Hamper
Pinça auxiliar (Cheron)
Biombo
Forro e saco plástico

Técnica

  1. Identificar-se
  2. Explicar o procedimento ao paciente
  3. Lavar as mãos
  4. Reunir o material e levá-lo a unidade do paciente
  5. Proteger a unidade com biombos
  6. Trazer o hamper próximo ao leito
  7. Calçar as luvas de procedimentos
  8. Posicionar o paciente expondo somente a área genital
  9. Colocar o forro com plástico sob a região glútea do paciente
  10. Colocar a comadre sob a região glútea em cima do forro com a ajuda do paciente
  11. Irrigar com a jarra com água, a região genital
  12. Dobrar e pinçar gaze com a pinça auxiliar
  13. Despejar pequena porção de sabão líquido ou P.V.P.I. degermante, sobre os genitais
  14. Ensaboar os genitais com a pinça montada em gaze, desprezando a gaze, a cada etapa
  15. Tracionar o prepúcio para trás, lavando-o em seguida, com movimentos únicos e circulares
  16. Iniciar a higiene intima pelo meato urinário, prepúcio, glande, corpo do pênis, depois região escrotal e por último a região anal
  17. Despejar o conteúdo da jarra sobre a região pubiana, pregas inguinais, pênis e bolsa escrotal
  18. Tracionar o escroto, enxaguando a face inferior no sentido escroto perineal
  19. Retirar todo o sabão liquido ou P.V.P.I. degermante
  20. Retirar a comadre
  21. Enxugar a região lavada com a toalha de banho ou com o forro que esta sob a região glútea do paciente
  22. Posicionar o prepúcio
  23. Colocar a paciente em posição de conforto
  24. Desprezar as roupas no hamper (toalha, forro)
  25. Lavar a comadre no banheiro, juntamente com o balde e jarra e guardá-los
  26. Retirar a luva
  27. Lavar as mãos
  28. Anotar no prontuário
Observação
Se houver presença de secreção purulenta na região uretral, limpá-la com gaze, antes de proceder a limpeza com água e sabão. 

Para baixar:

POP – Procedimento Operacional Padrão para o seu serviço:

Modelo 1 – Word Modelo 2 – Excel

 

Slides para apresentação em aula:

Pronto – GRÁTIS

 

Separamos duas aulas de higiene íntima no paciente, que estão no Youtube:

Recomendações

Promover a higiene do paciente elimina odores, prevenindo infecções e proliferação de fungos.

Descrição do procedimento resumida

Quando o paciente encontra-se impossibilitado de fazer sua própria higiene, explique o procedimento que será realizado, promova a privacidade dele, com biombo ou feche a porta do quarto.

Recomenda-se que a higiene seja feita preferencialmente três vezes ao dia com água e sabonete especial.

E para finalizar, mais links sobre o assunto:

 

 

Referências bibliográficas
POTTER, Patricia A.; PERRY, Anne Griffin. Fundamentos de enfermagem. 5. Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004
MURTA. Genilda Ferreira . Saberes e práticas Guia para Ensino e aprendizado de Enfermagem. 5ª ed. V.1. São Paulo: Difusão Editora, 2009
Potter, Patrícia A., Perry Anne G., [tradução Gomes Luciana T. et al], Fundamentos de Enfermagem Rio de Janeiro, Elsevier, 2005.
Carmagnani MIS et al. Procedimentos de Enfermagem- guia Prático. Guanabara Koogan. RJ.2009.

 

Se você gostou desse artigo, clique em algum dos ícones de compartilhamento abaixo para ajudar a divulgá-lo.
:)

Contato

Diego Lopes

Técnico em Enfermagem em Site
Formado em Técnico em Enfermagem com eixo tecnológico em ambiente e saúde.
Qualificação profissional em APH - Atendimento Pré-Hospitalar na qualidade de aluno.
Certificado de Honra ao mérito do Coren-RS como aluno que apresentou o melhor desempenho no curso.
Escritor nas horas vagas e fundador do site www.tecnicoemenfermagem.net.br.
Contato

Últimos posts por Diego Lopes (exibir todos)

Compartilhe:

One thought on “Higiene íntima no paciente

  1. eu amo essa profissão! cuidar das pessoas é a coisa mais importante que existe, é mais importante que minha minha própria vida, é a minha vida. É o que faz sentido a vida. Mas eu preciso vencer meus medos e preconceitos… será que eu consigo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *