Higiene do couro cabeludo

Higiene do couro cabeludo



Um resumo antes da técnica

A melhor forma de manter os cabelos saudáveis é uma higiene do couro cabeludo adequada. Claro que usar produtos ao tipo de exato do seu cabelo ajuda ainda mais a conservá-los lindos e sedosos.

Todavia às vezes o trabalho mais árduo é encontrar um produto que não resseque ou que não cause alergias. Algumas pessoas utilizam os cosméticos e não tem ideia de para que exatamente servem.

Por isso, nós da redação do site, resolvemos antes de passar as técnicas de enfermagem adequadas aos pacientes acamados explicar os produtos mais comuns deste procedimento.

Xampu

Limpam os fios, retirando a oleosidade, suor, descamação das células do couro cabeludo, resíduos de poluição e até de outros produtos capilares. Além da limpeza bruta fornecem mais brilho e maciez, facilitando o pentear.

Condicionador

Usado após a lavagem, tem como função a neutralização de cargas negativas dos fios (eletricidade estática), reduzindo o frizz, melhorando o aspecto visual do penteado.

Para proporcionar conforto e bem-estar ao cliente acamado, conserve os cabelos e o couro cabeludo dele sempre limpos.

Dica

Os cabelos são um grande acumulador de sujeiras e gorduras. Por isso, é importante lavá-lo em dias alternados para manter a higiene e não ressecá-los.

Higiene do couro cabeludo

Entende-se por couro cabeludo toda a extensão de pele que recobre a calota craniana, onde está implantado o cabelo. Em contato direto com o meio externo, tem função de proteger as estruturas internas como, glândulas sudoríparas, glândulas sebáceas, bulbo piloso e outras.

Recomendação: Promover a higiene e o conforto do paciente.

Descrição resumida do procedimento: Explicar ao paciente o procedimento que irá realizar, dê a privacidade necessária com um biombo ou feche a porta do quarto. Usar água morna em uma bacia, repetir a lavagem.

Enxaguar com água morna até a retirada total do shampoo e condicionador caso tenha usado. Secar e pentear os cabelos. Desprezar a água utilizada, retirar o biombo, organizar e encaminhar o material usado para o expurgo.

Anote o procedimento realizado e registre o aspecto do couro cabeludo no prontuário. 

Finalidades: Remover sujidades; conforto e bem-estar ao cliente acamado, ativar a circulação com o pentear e escovação do cabelo e melhorar a nutrição do epitélio.

Pré-execução: Observar prescrição de enfermagem; preparar o material; lavar as mãos; e solicitar auxílio.

Observação: A higiene do couro cabeludo é realizada normalmente no mesmo momento do banho de leito, intercalando-se os dias – conforme já havíamos falado anteriormente. Leia também: Hábitos de higiene corporal: 5 dicas recomendadas pela Anvisa.

Existe casos que essa higiene é acompanhada por aplicação de medicação, um exemplo é em pacientes com pediculose. É importante seguir as orientações médicas, diante do uso destas substâncias.

Materiais:
– 01 toalha de rosto;
– 01 toalha de banho;
– 02 bolas de algodão pequenas;
– 01 saco de lixo de 100 litros;
– 01 saco de lixo de 50 litros;
– 01 jarro com água morna;
– 01 cobertor;
– 01 fita crepe;
– 01 xampu, sabonete ou sabão líquido;
– 01 pente;
– 01 escada de dois degraus;
– 01 secador de cabelo;
– 01 biombo;
– 01 par de luvas de procedimento;
– 01 cuba rim com saco plástico;
– 01 balde ou bacia;
– 01 carrinho.

Descrição da Técnica:
– Identificar-se;
– Checar o nome e o leito do cliente antes de começar a higiene do couro cabeludo
– Organizar e preparar o material antes de começar o procedimento;
– Explicar e orientar o cliente e/ou o acompanhante sobre o procedimento que será feito;
– Fechar portas e janelas para evitar corrente de ar;
– Isolar com biombo caso necessário;
– Lavar as mãos;
– Calçar as luvas;
– Posicionar o cliente em decúbito dorsal e diagonal no leito (se possível);
– Realizar uma pequena abertura no canto do saco plástico de 100 litros;
– Dobrar o cobertor em diagonal, fazer um rolo consistente unindo as pontas e fixando com fita crepe, formando uma argola para acomodação da cabeça;
– Forrar a argola com o saco plástico de 100 litros de modo que se forme um cone com a parte inferior do saco plástico para drenar a água utilizada na lavagem do cabelo;
– Deixar o travesseiro ao lado do idoso e forrar com o saco plástico de 50 litros e sobre esse a toalha de banho (sentido horizontal);
– Com a toalha de rosto envolta nos ombros para fazer uma toca e colocar a cabeça do paciente sobre o travesseiro já forrado;
– Colocar o balde na escadinha e a ponta do saco plástico de 100 litros dentro do balde para escoar a água da lavagem;
Ocluir os ouvidos do cliente com bolas de algodão para evitar entrada de água;
– Posicionar a bacia sob a cabeça, segurando a nuca do cliente com uma das mãos e com a outra proceder à lavagem;
– Molhar, ensaboar e massagear bem o cabelo e o couro cabeludo quantas vezes achar necessário,  se pediculose usar produto apropriado;
– Enxaguar bem até retirar todo o sabão, despejando a água do jarro delicadamente sobre a cabeça;
– Despreze a água suja da bacia no balde, sempre que for necessário;
– Escorra bem a água do cabelo, impedindo que tenha contato com a água suja;
– Retire a bacia;
– Proteger a cabeça enrolando-a na toalha;
– Retirar o excesso de água dos cabelos com a toalha de banho;
– Secar o cabelo com secador de cabelos, caso necessário;
– Colocar o plástico de 100 litros dentro do balde, desprezando posteriormente;
– Posicionar o travesseiro;
– Retirar as bolas de algodão dos ouvidos;
– Pentear os cabelos ou orientar que o cliente penteie se tiver condições;
– Colocar o cliente em posição confortável e com a campainha ao seu alcance;
– Desprezar os líquidos usados;
– Organizar o material e o ambiente;
– Lavar as mãos;
– Anotar o procedimento e registrar o aspecto do couro cabeludo no prontuário.

Avaliação:
– Presença de parasitas, lesões e dermatites.

Riscos e tomada de decisão:
– Reação alérgica a produtos para pediculose: suspender o uso do produto imediatamente;
– Lesão de couro cabeludo: comunicar ao médico do cliente.



O que dizem as bibliografias especializadas em técnicas de enfermagem?

Na abordagem da técnica, diversos autores possui pequenas variações na forma de usar os materiais. Citamos Weitzel (1974) e Lopes (1994), que indicam o uso de bacia para a lavagem, Mussi (1995) e Mamede (1984), que relatam a necessidade de utilização de cobertor e saco plástico, Timby (2001), recomenda o uso do equipamento específico para a higiene praticamente não usado no País.

Para baixar:

POP – Procedimento Operacional Padrão para o seu serviço:

Modelo 1 – Word Modelo 2 – Excel

 

Slides para apresentação em aula:

Pronto – GRÁTIS

 

Separamos duas aulas de higiene do couro cabeludo, que estão no Youtube.

 

E para finalizar, mais links sobre o assunto:

 

 

Referências bibliográficas:

MAMEDE, M. V.; CARVALHO, E.C.; CUNHA, A. M. P.(coord.) Técnicas em enfermagem. 2 ed. São Paulo: Sawier, 1984.
FUERST; WOLFF; WEITZEL. Fundamentos de enfermagem. Rio de Janeiro: Interamericana, 1974.
LOPES, M. A.; LA CRUZ, M. J. R. Guias práticos de enfermagem: hospitalização. Rio de Janeiro: McGraw Hill, 1994.
MUSSI, N. M. et al. Técnicas fundamentais de enfermagem. São Paulo: Atheneu, 1995.

 

Se você gostou desse artigo, clique em algum dos ícones de compartilhamento abaixo para ajudar a divulgá-lo.
:)

Contato

Diego Lopes

Técnico em Enfermagem em Site
Formado em Técnico em Enfermagem com eixo tecnológico em ambiente e saúde.
Qualificação profissional em APH - Atendimento Pré-Hospitalar na qualidade de aluno.
Certificado de Honra ao mérito do Coren-RS como aluno que apresentou o melhor desempenho no curso.
Escritor nas horas vagas e fundador do site www.tecnicoemenfermagem.net.br.
Contato

Últimos posts por Diego Lopes (exibir todos)

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *