higiene da habitação

Higiene da habitação, é importante?

Será que a higiene da habitação é importante? Sabemos que é em nossa casa que depositamos uma boa parte de nossa vida, principalmente na infância e na velhice. E, por isso, devemos tomar alguns cuidados com a higiene da habitação, para assim, evitarmos diversas doenças, animais indesejados como ratos, baratas, etc.

E ao mesmo tempo, zelamos por toda a família que reside conosco.

Então, como realizar e manter a higiene da habitação?

Bom, primeiramente precisamos ter o atendimento dos serviços básicos de saneamento: abastecimento de água, coleta de lixo e rede de esgotos. E em um segundo momento precisamos realizar cuidados que depende de nós para se ter uma correta higiene da habitação. Veremos estas questões mais detalhadamente no decorrer deste artigo.

O abastecimento de água e sua importância

higiene da habitação

O ser humano precisa de água de qualidade e em quantidade suficiente para todas suas necessidades, inclusive para o seu desenvolvimento econômico. Assim, o abastecimento deve ser encarado sob os aspectos sanitário e econômico ao mesmo tempo.

E sua importância sanitária é das mais ponderáveis para a higiene da habitação, onde a implantação ou melhoria dos serviços de abastecimento de água traz como resultado uma rápida e sensível melhoria na saúde e nas condições de vida de uma comunidade.

Principalmente através do controle e prevenção de doenças, da promoção de hábitos higiênicos, do desenvolvimento de esportes, da melhoria da limpeza pública e da higiene da habitação.

Sobre a qualidade da água

Água pura, no sentido rigoroso do termo, não existe na natureza, pois a água é um ótimo solvente, e desta forma, nunca é encontrada em estado de absoluta pureza.

A água pode conter uma série de impurezas, que vão definir suas características físicas, químicas e biológicas, determinando dessa forma o grau de tratamento necessário para que possa utilizar para um determinado fim.

A influência da água sobre a saúde é muito grande. – Hipócrates (460-354 A.C.)

Coleta de lixo

coleta-de-lixo

A coleta de lixo nas cidades é um serviço público a cargo das prefeituras municipais ou de empresas especializadas contratadas para essa finalidade.

Em regiões onde há deficiências na coleta de lixo, as crianças tem 40% a mais de chance de apresentar diarreias e doenças parasitárias e/ou dermatológicas.

O acesso aos serviços de coleta de lixo e a disposição final dos resíduos, é fundamental para a saúde pública e a preservação do meio ambiente, pois com a melhoria da disposição, ocorre uma diminuição das endemias e da contaminação do solo.

Por isso o investimento em saneamento ambiental é um dos grandes desafios para os gestores públicos, devido a sua ampla relação entre meio ambiente, saúde pública e desenvolvimento local.

Cada brasileiro produz em média 1,1 quilogramas de lixo por dia, sendo que esse número tende a aumentar pela geração consumista.

Dados preocupantes no País: são coletadas diariamente 188,8 toneladas de resíduos sólidos e, deste total, em 50,8% dos municípios, o lixo é destinado de maneira incorreta, isto é, direcionado para os lixões, por exemplo.

Portanto, a necessidade de uma gestão do lixo eficaz traz inúmeros benefícios tanto à sociedade, que pode fazer a reutilização dos materiais recicláveis e não ter sua saúde ameaçada pelos animais presentes nos lixões, quanto ao solo que deixa de ser contaminado.

Rede de esgotos

esgoto

Em uma cidade urbanizada, é fundamental o serviço de rede de esgoto. Afinal, a coleta dos dejetos vindos de banheiros, lavatórios, pias e lavanderias das residências, além de evitar a contaminação da água subterrânea, poupa-nos de doenças como cólera, hepatite e leptospirose.

Aliás, essa rede quando bem construída, melhora a saúde da comunidade, trazendo soluções sanitárias e ambientais.

Em 2010 foi apresentado pelo presidente do Instituto Trata Brasil, André Castro, e o professor e coordenador da pesquisa, Fernando Garcia, da FGV – Fundação Getúlio Vargas, o estudo “Benefícios Econômicos da Expansão do Saneamento Brasileiro” onde indicava que a expansão da rede de esgoto reflete na qualidade de vida, melhora significativamente a saúde pública, aumenta a produtividade – e, consequentemente, a renda do trabalhador – e contribui para a valorização de imóveis do entorno.

A pesquisa revelou também que, apenas 43,5% dos brasileiros são atendidos pelo saneamento básico, o que acaba impactando fortemente na área da saúde e na higiene da habitação. A seguir dividimos a pesquisa em três partes para um melhor entendimento:

Saúde – 1 parte

Por ano, pelo menos 217 mil pessoas se afastam de seus postos de trabalho por adquirir problemas gastrointestinais provocados pela falta de saneamento.

O resultado é a perda de 17 horas de trabalho a cada afastamento, o que gera um prejuízo de R$ 238 milhões em horas-pagas e não trabalhadas. Isso sem falar dos óbitos.

O custo para cada internação chega, em média, a R$ 350, sendo que, com a universalização do acesso à rede de esgoto, se economizaria R$ 745 milhões em pouco menos de duas décadas.

O valor poderia ser investido em educação, por exemplo. Além do mais, se houvesse saneamento básico para todos, o número de internações seria reduzido em 25% e a mortalidade, em 65%, ou seja, 1.277 vidas seriam salvas.

Mão-de-obra – 2 parte

Outra questão importante diz respeito ao acesso ao saneamento, que também impacta na remuneração. Com uma saúde mais adequada, o trabalhador falta menos, aumenta sua produtividade em 13,3% e, consequentemente, sua renda na mesma proporção.

A estimativa é de que, com isso, haja uma elevação de 3,8% na massa de salários, o que equivale a um aumento anual de R$ 41, 5 bilhões.

De acordo com a OMS, o acesso a fontes confiáveis de água e melhores condições de saneamento, que incluem coleta, afastamento e tratamento do esgoto, são fatores que se tornam a chave para a luta contra doenças como cólera, diarreia, disenteria, entre outras classificadas como infectocontagiosas.

Imóveis – 3 parte

Quando há tratamento de esgoto no local, os imóveis podem obter uma valorização de até 18% em seu preço. Este dado se aplica, principalmente, a moradias de menor rendimento, que pertencem a famílias que têm o imóvel como único patrimônio.

Estima-se que a valorização imobiliária pode alcançar R$ 74 bilhões, causando efeitos diferenciados para cada estado – aquele que tiver maior deficiência, terá mais ganhos.

Outro benefício do investimento na construção de esgotos é que parte do dinheiro retorna para os cofres públicos em forma de IPTU – Imposto Predial e Territorial Urbano e ITBI – Imposto sobre Transferência de Bens Imóveis.

Em longo prazo, o aumento na arrecadação de impostos se torna proporcional ao novo valor do imóvel. O retorno tributário pode chegar a R$ 385 milhões por ano.

Mesmo com estes dados, os investimentos em esgotamento sanitário ainda precisam ser maiores – por volta de R$ 15 milhões por ano – para que, até 2025, haja uma universalização do acesso.

Assim, a população poderá contar com uma melhor qualidade de vida e os impactos ambientais serão minimizados, já que, ainda hoje, boa parte do esgoto tem, como destino final, os mares brasileiros.

Alguns cuidados para se ter em casa

Em 1992, a OMS inicia um trabalho conjunto com o Centro de Medicina Coletiva de Buffalo. E estabelece uma comissão com o objetivo de delinear uma política de Habitação Saudável, baseada na estratégia de ambiente saudável como ferramenta de Promoção da Saúde.

A iniciativa da Habitação Saudável surge como uma proposta no sentido de unir esforços com a Estratégia da Saúde da Família criando o Centro de Atenção Primária à Saúde da Família, Ambiente e Habitação.

É um projeto piloto que analisa as possibilidades de inclusão e expansão da Estratégia da Saúde da Família. Onde além das ações de cuidado à família sejam inseridas a atenção primária ambiental e a melhoria sanitária domiciliar, ambas fundamentadas no conceito de Habitação Saudável para a Promoção da Saúde.

Dessa forma, expande o número de agentes comunitários em saúde e técnicos e os capacita na temática da Habitação Saudável como caminho para a Promoção da Saúde, para a percepção dos riscos ambientais e habitacionais existentes em áreas precárias urbanas.

Apontada como condição fundamental para o desenvolvimento humano sustentável. Uma higiene da habitação saudável, pode ser considerada uma ferramenta para a promoção da saúde.

Habitação não é apenas o espaço físico. Habitação é o uso que se dá ao espaço. Portanto, escola, bairro, local de trabalho, todos são espaços que devem ser vistos como determinantes da saúde. – Carlos Barceló Perez

Para baixar:

Slides para apresentação em aula:

Pronto – GRÁTIS

9 maneiras simples para uma ótima higiene da habitação

  1. Varrer o chão, seja de terra batida, cimento, cerâmica, madeira
  2. Colocar roupas ao Sol
  3. Abrir portas e janelas para arejar
  4. Manter os animais do lado de fora da casa
  5. Lavar os alimentos e utensílios de cozinha
  6. Retirar a poeira com pano úmido
  7. Lavar as mãos antes de comer e depois de usar o banheiro
  8. Manter o lixo tampado e não jogá-lo na rua para evitar a proliferação de animais que transmitem doenças
  9. Limpar o quintal, entre outros.

Conheça os possíveis pontos críticos em sua habitação

Sala:

Controle remoto, telefones, interruptores de luz – São alguns dos objetos mais manuseados da casa, por isso passam infecções de uma pessoa para outra e merecem atenção especial.
Livros e enfeites – Acumulam poeira.

Cozinha:

As mãos, por estarem em contato com vários objetos, acabam acumulando muitos germes. Sendo assim elas devem ser lavadas antes de pegarmos algum alimento. Leia mais sobre este assunto no artigo Higiene das mãos.

Pia e piso:

Contêm 100 vezes mais germes que a privada

Quarto:

O conforto para um bom descanso noturno não depende só de como está equipado e sim de um ambiente limpo.

Roupa de cama e travesseiros – Têm ácaros, pelos e vírus causando doenças alérgicas e alergias respiratórias.

Cortina e colchão – Concentram ácaros, causando também problemas respiratórios.

Banheiro:

O banheiro é uma das partes da casa que precisa estar limpo sempre. Pois é o lugar perfeito para a proliferação de bactéria. Então, lave o banheiro, mantenha os ralos limpos, e tenha o hábito de dar a descarga a cada uso.

Box – Devido à umidade, podem abrigar fungos.

Torneira e botão de descarga – Muito tocadas por mãos, podem ter germes mais nocivos que o assento da privada.

Quintal:

Animais – Cães e gatos carregam bactérias que senão forem devidamente tratados, podem ser agentes transmissores de doenças.

Lixo – Não acumule lixo no quintal para não atrair animais como ratos, por exemplo.

E para finalizar, mais links sobre o assunto:

 

 

Referências

Cohen SC. Habitação saudável como um caminho para a promoção da saúde [tese de doutorado]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz; 2004.
Cohen SC et al. Habitações saudáveis no Sus, uma estratégia de ação para o PSF: uma incorporação do conceito de habitação saudável na política pública de saúde e ambiente. Rev C S Col 2004; 9(3):807-813; .
Buss PM. Promoção da saúde no Brasil [palestra]. I Seminário Brasileiro de Efetividade da Promoção da Saúde. 10 de maio de 2005. Rio de Janeiro, Brasil.
Organização Pan-americana de Saúde. Portal de Moradia Saudável. [acessado 2005 Mai 14]. Disponível em: http://www.cepis.ops-oms.org/indexpor.html
Pesquisa revela benefícios reais no saneamento básico. Portal Planeta sustentável Brasil.  [acessado 2016 Ago 19]. Disponível em: http://planetasustentavel.abril.com.br/
Benefícios da gestão de lixo. Sampex Desentupidora e Dedetizadora. [acessado 2016 Ago 19]. Disponível em: http://www.sampexdesentupidora.com.br
Importância da água. Coden. [acessado 2016 Ago 19]. Disponível em: http://www.coden.com.br/
Ribas O. A sustentabilidade das cidades: os instrumentos de gestão urbana e a construção da qualidade ambiental [tese de doutorado]. Brasília: CDS / UnB; 2003.

 

 

Se você gostou desse artigo, clique em algum dos ícones de compartilhamento abaixo para ajudar a divulgá-lo.
:)

Contato

Diego Lopes

Técnico em Enfermagem em Site
Formado em Técnico em Enfermagem com eixo tecnológico em ambiente e saúde.
Qualificação profissional em APH - Atendimento Pré-Hospitalar na qualidade de aluno.
Certificado de Honra ao mérito do Coren-RS como aluno que apresentou o melhor desempenho no curso.
Escritor nas horas vagas e fundador do site www.tecnicoemenfermagem.net.br.
Contato

Últimos posts por Diego Lopes (exibir todos)

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *