evolução histórica da higiene

A evolução histórica da higiene



Evolução histórica da higiene nas escolas possui fatos poucos ou totalmente omissos. Acredito que seja um erro não proposital dos professores, porém, extremamente prejudicial a todos.

E ao usar a palavra “extremamente” não estou sendo exagerado e obviamente, irei explicar o porquê.

A imagem do post é uma pintura de Pieter Bruegel (A quermesse de São Jorge)

Evolução histórica da higiene

Antes de falarmos sobre a evolução histórica da higiene, precisamos entender que os nossos hábitos de higiene como:

  • • tomar banho;
  • • escovar os dentes;
  • • utilizar o vaso sanitário e etc…

Que são comuns e ao mesmo tempo fundamentais, já foram desconhecidos, no passado. Saiba mais sobre os esses hábitos de higiene no artigo Tipos de higiene na saúde.

E por esta razão muitas enfermidades, como a peste negra e tuberculose, tiveram surtos gigantescos. O papel higiênico, por exemplo, foi inventado em 1857, e já foi motivo de discussão.

De um lado os que desejavam mais higiene, de outro os que queriam preservar a natureza considerando um desperdício.

Na opinião dos ambientalistas da época, a folha de bananeira ou a palha de milho estavam perfeitas. E em alguns países, a mão (esquerda) é utilizada no lugar do papel higiênico.

Outra situação interessante era que tomar banho em excesso, na idade média, tinha a fama de ser prejudicial a saúde.

Sendo assim, o hábito era tomar dois ou três banhos ao ano. E quando a família decidia que deveriam tomar banho a organização funcionava da seguinte forma:

  • • O chefe da família tinha preferência em usar a água limpa;
  • • e assim seguia aos outros membros mãe e filhos;
  • • caso existisse um bebê, ele seria lavado por último na água que já deveria de estar imunda e completamente contaminada.

A evolução histórica da higiene

Sobre os banhos

Logo mais surgiram casas de banhos na Europa e depois no Brasil. No país, como não existiam banheiros nem mesmo nas casas da elite brasileira; surgiu no Rio de Janeiro, a primeira casa de banhos, chamada Banhos Pheroux.

O slogan era: “Venha tomar banho na Pheroux que é do que o senhor precisa”. Entendam que nesta época não existiam preocupações nem mesmo com lavar as mãos e os cabelos.

Hoje ao pensarmos que isto é tão normal chega ser um choque a comparação entre gerações sobre este tema.

No nosso país tivemos uma herança fantástica neste quesito! Os índios tomavam banho todos os dias e felizmente mantivemos isto até hoje.

No começo da colonização brasileira, a maioria dos dejetos eram depositados nas ruas. No Rio de Janeiro, as necessidades fisiológicas eram realizadas em bacias ou penicos.

Após, os escravos recolhiam em tonéis equilibrando na cabeça para levar o mais longe possível da casa de seu “senhor”.

E para piorar, com o movimento do caminhar, as fezes escorriam pelos ombros deles. Como falamos anteriormente algumas casas arremessavam os excrementos pela janela tendo como alvo o meio da rua.

E, por isso, incidentes desagradáveis era muito comuns.

A evolução histórica da higiene

Invenções em prol da Higiene

O nosso querido Dom João VI tinha a fama de nunca ter tomado banho. E como consequência, o príncipe possuía diversas erupções e doenças de pele. O ruim era beijar a mão dele na cerimônia diária realizada na Quinta da Boa Vista.

Em 1597 John Harringston criou o primeiro vaso sanitário, foi um presente para sua madrinha, a rainha Elizabeth I. Muitos anos depois, em 1775, a invenção foi aprimorada por Alexandre Cummings.

Porém em 1884, George Jennings aprimorou com o acréscimo da descarga conectada aos encanamentos que o vaso sanitário foi popularizado.

Desde o inicio do século XX, mais exatamente, tivemos uma importância mais focada para a higiene. Onde cientistas e empresas de cosméticos divulgam os benefícios deste e de outros diversos hábitos relacionados a higiene.

A tecnologia começava a facilitar a vida das pessoas, afinal, agora o banheiro era dentro das residências. Atualmente pessoas ainda tomam banho em canais, águas de enchentes e isto é muito nocivo a saúde.

Nestes locais é normal encontrarmos urina e fezes de animais com parasitas e bactérias que causam foliculites, dermatites, disenteria, etc.

Muitas doenças que insistem em reaparecer são originadas pela falta de higiene. Ainda hoje, maus hábitos na limpeza das mãos e ao consumo de água inadequada causam doenças como Hepatite A, etc.

Mais links sobre o assunto antes do vídeo:

 

Separamos um vídeo sobre o tema para você

Para baixar:

Slides para apresentação em aula:

Pronto – GRÁTIS

 

Gostou desse artigo sobre a evolução histórica da higiene? Então clique em algum dos ícones de compartilhamento abaixo para ajudar a divulgá-lo.
:)

Contato

Diego Lopes

Técnico em Enfermagem em Site
Formado em Técnico em Enfermagem com eixo tecnológico em ambiente e saúde.
Qualificação profissional em APH - Atendimento Pré-Hospitalar na qualidade de aluno.
Certificado de Honra ao mérito do Coren-RS como aluno que apresentou o melhor desempenho no curso.
Escritor nas horas vagas e fundador do site www.tecnicoemenfermagem.net.br.
Contato

Últimos posts por Diego Lopes (exibir todos)

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *