BROMIDROSE: dicas, causas, sintomas

Bromidrose: dicas, causas, sintomas, relatos e tratamento



 

Bromidrose

O sintoma que indica a Bromidrose é o odor provocado por microrganismos no suor das axilas e pés. A denominação de Bromidrose Axilar é destinada quando o odor está na região das axilas, e de Bromidrose Plantar, quando nos pés. Popularmente a Bromidrose é conhecida como cê-cê e chulé, respectivamente.

No caso de Bromidrose Plantar, problemas como micoses, alergias e eczemas podem aparecer associados.

Acompanhe no vídeo abaixo relatos de como é viver com este problema:

O que é o suor?

O nosso corpo produz o suor através das glândulas sudoríparas que estão em toda a extensão da pele e elas são as responsáveis pela produção de nosso suor. Essas glândulas são divididas em dois tipos: Écrinas e Apócrinas.

O suor serve para a regulação da temperatura do corpo, indicação de emoções, alterações hormonais e combate a infecções.

Glândulas Écrinas

Com a função de termorreguladora essas glândulas estão distribuídas em toda a pele e o suor eliminado é basicamente água e alguns sais que não se decompõem e por isso, praticamente não exalam nenhum odor.

Glândulas Apócrinas

As apócrinas, por sua vez, desenvolvem-se apenas em alguns locais do nosso corpo: axilas, área genital, couro cabeludo e ao redor dos mamilos. A eliminação de suor ocorrem pelos folículos pilosos. A diferença nessa secreção é que além da água e dos sais, é eliminado também restos celulares que acabam causando odores quando expostos à bactérias e/ou fungos. Afinal, nesses ambientes o calor, umidade e falta de luz são normais. Em suma, estas partes do corpo são normalmente cobertas por algo como tênis, sapatilhas, roupas e etc., o que faz com que o suor não evapore rapidamente e, por isso, ele fermenta com microrganismos presentes nos locais.

O que causa a Bromidrose?

Além da decomposição de restos celulares por bactérias e fungos, a Bromidrose pode vir do diabetes, do alcoolismo, do tabagismo, do hipertiroidismo, da obesidade, de alguns temperos como cebola, curry, alho e pimenta e de antibióticos. Nos pés, podem surgir sinais de maceração e descamação da pele quando a sudorese é muito intensa.

Homens têm mais Bromidrose que as mulheres?

De certa forma sim, afinal os homens têm uma temperatura corporal, sudorese e uma atividade hormonal maior, o que os torna mais predispostos. Mas este problema afeta também os jovens pós-puberais que nesta idade têm suas glândulas apócrinas em fase de desenvolvimento e com a atividade de produção aumentada.

Talco ou Spray antisséptico?

Prefira o spray para os pés antes de calçar. O talco pode atrapalhar quem têm sudorese excessiva, ocasionando ainda mais a proliferação de microrganismos já existentes.

A Bromidrose plantar e o Pé de Atleta são a mesma coisa?

Não, são situações diferentes, mas que podem estar ligadas. Os pés, como já falamos acima, possui o agravante de estarem na maior parte de uma rotina diária cobertos, o que facilita a maceração da pele entre os dedos. E por causa desta situação pode surgir uma infecção de fungos no local, que seria o Pé de Atleta.

Cuidado! Conheça agora alguns produtos que não tem sua finalidade comprovada para combater a Bromidrose:

  • • Bicarbonato de sódio;
  • • Limão;
  • • Pomada branca a base de cânfora;
  • • Leite desodorizante (leite de rosas);

Mas existem opções naturais para amenizar o odor?

Caso você conheça um paciente que não tenha recursos financeiros para comprar sabonetes antissépticos ou produtos especializados para tais fins, sugira uma destas receitas caseiras:

  1. Lavar os pés todos os dias com sal em uma bacia com água morna e 4 colheres de sopa de sal. Os pés devem ficar imersos por 10 minutos, após secar bem eles. Esta medida ajuda a diminuir a umidade;
  2. Alguns pacientes podem ter Bromidrose por deficiência de zinco. Então sugira o consumo de frutas baratas como maçã, banana e abacaxi ao menos 2 vezes por dia;
  3. E usar nos calçados por alguns segundos um secador de cabelos, antes de calçá-los.



Quando procurar um dermatologista?

Quando há um impacto social, ou familiar de relacionamento que interfira negativamente na vida da pessoa, é importante procurar um médico. E, ainda, quando a pessoa já tentou todas as medidas preventivas, mas não obteve resultados.

Tratamento

Em um primeiro momento, é necessário identificar a causa da Bromidrose. Todavia, indiferentemente de qual seja a causa, a higiene corporal de forma correta é fundamental (saiba mais sobre higiene no artigo: Hábitos de higiene corporal: 5 dicas recomendadas pela Anvisa), principalmente nos pés e nas axilas, onde a atenção precisa ser elevada. Afinal, nessas regiões estão concentradas um número maior de glândulas sudoríparas. Agindo desta forma, impedimos uma quantidade suficiente de uma possível proliferação dos microrganismos.

Desodorantes antitranspirantes também são uma forma de tratamento, pois controlam a produção excessiva de suor. Há casos onde exista a necessidade de prescrever medicamentos com ação bactericida, fungicida  e antimicótica.

Já o tratamento cirúrgico é mais indicado em casos de Hiperidrose como uma solução terapêutica, porém é usada em último caso. Já que ela serve para diminuir a sudorese excessiva e não curar a Bromidrose.

Recomendações ao paciente

  • • Higiene pessoal em dia;
  • • Seque bem a pele das axilas e entre os dedos dos pés após o banho;
  • • Lavar as axilas pelo menos 2 vezes por dia com sabão antibacteriano;
  • • Raspar os pelos da axila evita bactérias e suor seco que ficam aderidos neles;
  • • Dê preferência aos sabonetes antissépticos e/ou desodorantes antitranspirantes;
  • • Troque de roupas e meias diariamente;
  • • Lave as roupas sujas com produtos especias para combater odores;
  • • Prefira roupas e meias 100% algodão;
  • • Um calçado após usado, deve ficar 24 horas no mínimo em um lugar ventilado e com claridade;
  • • Antes de levar o calçado para um local ventilado e com claridade, limpe-o com vinagre;
  • • Não ande descalço em pisos úmidos (banheiro coletivo, sauna e lava-pés);
  • • Use seu próprio material para cortar as unhas;
  • • Prefira calçados abertos e fabricados com matérias-primas não sintética;
  • • Em alguns momentos do dia, uma nova e rápida higienização das axilas com sabonete antisséptico na pia do banheiro ajudará muito o combate a Bromidrose;
  • • Se tiver micose, é conveniente tratá-la para também diminuir o odor;
  • • Evite consumir em excesso álcool, tabaco e comidas com condimentos de cheiro marcante;
  • • Sugira a orientação de um farmacêutico sobre uma formulação de desodorante ou antitranspirante ideal para ele;
  • • Atenção à dieta;
  • • Se perceber que surgiu descamação entre os dedos, fissuras ou bolinhas, sugira a procura de um dermatologista. Provavelmente o paciente com fungo, micose ou alguma bactérias.
  • • Caso não tenha esses sinais, mas o odor persiste, sugira um dermatologista mesmo assim.

1% a 2% dos brasileiros sofrem por causa do suor em excesso

E por fim, você conhece a Trimetilaminúria ou Síndrome do Odor de Peixe?
Caso não, veja o vídeo abaixo…

 

BROMIDROSE: dicas, causas, sintomas

E para finalizar, mais links sobre o assunto:

 

Se você gostou desse artigo, clique em algum dos ícones de compartilhamento abaixo para ajudar a divulgá-lo.
:)

Contato

Diego Lopes

Técnico em Enfermagem em Site
Formado em Técnico em Enfermagem com eixo tecnológico em ambiente e saúde.
Qualificação profissional em APH - Atendimento Pré-Hospitalar na qualidade de aluno.
Certificado de Honra ao mérito do Coren-RS como aluno que apresentou o melhor desempenho no curso.
Escritor nas horas vagas e fundador do site www.tecnicoemenfermagem.net.br.
Contato

Últimos posts por Diego Lopes (exibir todos)

Compartilhe:

One thought on “Bromidrose: dicas, causas, sintomas, relatos e tratamento

  1. Olá, me lembro como se fosse hoje, eu tinha 25 anos hoje faço 60, estava eu num sábado de sol em são bernardo do campo onde morava e, pairava solitária sobre uma cadeira no quarto um camisão “quem é mais velho vai lembrar da moda da época” resolvi pedir pro meu irmão emprestada o tal camisão, ele disse ok mas minha namorada usou pode ser? “Meu Deus se eu soubesse” nunca mais o cheiro me largou, mas como inventor que sou fucei até encontrar a solução, misturei alguns produtos naturais e deu certo, portanto faço uso a 35 anos do meu próprio desodorante que tem uma duração de 140 horas, só lá pelos anos de 1997 lí uma matéria na revista veja de uma professora de cosmetologia da usp/sp que falava sobre uma bactéria que por ser menor que as demais de aloja na raiz dos folículos capilares das axilas, por isso o cheiro não te abandona, na e´poca não marquei nada nem o nome da bactéria nem o da professora, hoje procuro a matéria mas não consigo encontrar, mas tudo bem pelo menos o desodorante funciona, o desodorante tem dois agentes bactericida e outro fixador, por isso que dura 140 horas, agora resolvi fazer para além de vender ajudar outras pessoas a se livrarem do cheiro, recentemente refiz o teste, dia 26 de dezembro passei o desodorante e sai caminhar, ao voltar usei o nariz de minha esposa, no outro dia a mesma coisa com a mesma camiseta suada, e assim foi até o dia 31 de dezembro, quando ela disse começou a cheirar, isso de bem perto, só depois que anunciei que ia produzir para vender o desodorante é que ela entendeu o porque, fiz uma remessa e vendi tudo agora vou produzir mais e colocar a disposição dos interessados, ~se alguém se interessar me mande um email que entrarei em contato PAULO.CELETI@OUTLOOK.COM, garanto não existe outra forma de se livrar do cheiro, estou em vias de descobrir a cura definitiva pra isso (já sei o caminho) mas ainda dependo de um investimento, abraços a todos sem CC claro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *