Aconselhamento genético



Um projeto para incluir o aconselhamento genético no Sistema Único de Saúde (SUS) está em evidência nos últimos dias. A iniciativa é do Ministério da Saúde.

Entenda o que é o aconselhamento genético

Aconselhamento genético

Aconselhamento Genético, como o próprio nome já sugere, é o diagnóstico e a comunicação dos riscos ou da possibilidade de um paciente desenvolver alguma doença hereditária e genética. Em outras palavras, trata-se da verificação da possibilidade de uma condição ocorrer entre pessoas da mesma família.

No Brasil, serviços de diagnóstico e de tratamento de enfermidades singulares são muito difíceis de ser encontrados. Primeiro pelo baixo número de profissionais especializados nesta área. Segundo pelos altos custos de exames e tratamentos. O resultado dessa dificuldade é ainda mais sofrimento para os pacientes.

Se você pudesse identificar possíveis problemas em sua saúde e, mais do que isso, preparar-se fisicamente e psicologicamente para enfrentá-lo, não gostaria de fazê-lo?

Pois este é um dos propósitos de se implantar um projeto de aconselhamento genético no Sistema Único de Saúde. Oferecer qualidade de vida, suporte emocional e profissional e amparo clínico para aqueles que estão se preparando para enfrentar uma nova forma de ver a vida.

Além disso, quando a doença já é realidade, o aconselhamento genético também pode oferecer amparo para a família adaptar-se à melhor forma de auxiliar o paciente. Não é raro a doença gerar um sentimento de luto e sofrimento aos familiares. Por isso o amparo e o auxílio profissional são essenciais.

Como é feito o aconselhamento genético

Aconselhamento genético

Cada caso é tratado de uma maneira. No entanto, o aconselhamento genético possui algumas etapas básicas, começando pelo levantamento de enfermidades já presentes na família de cada paciente, através de uma série de perguntas. Esta etapa tem por finalidade identificar os reais riscos de uma doença genética ou hereditária.

Após esta fase, os exames físicos são realizados, finalizando o processo de identificação com alguns exames complementares e mais complexos.

Só após este amplo estudo o diagnóstico pode ser dado. Nesta etapa o profissional esclarece as possibilidades de o paciente desenvolver alguma doença e como será feita a prevenção, quando possível. É valido ressaltar que o aconselhamento genético deve ser realizado por médicos geneticistas.

Quais os benefícios do programa

Aconselhamento genético

O aconselhamento genético é um programa que busca melhorar a qualidade de vida das pessoas, uma vez que identifica a probabilidade das doenças genéticas ou hereditárias se manifestarem, permitindo que o paciente realize tratamentos preventivos e esteja sempre de olho na sua saúde.

Além disso, o programa pode ser um forte aliado para a reprodução, principalmente aos casais que antes tinham receio de ter filhos. Afinal, é capaz de identificar antes mesmo da gravidez as possibilidades de o bebê herdar alguma patologia ou malformação dos pais. Com o aconselhamento, torna-se possível auxiliar nas decisões futuras de gestação de um casal.

Habitualmente, o aconselhamento genético é apropriado para pessoas que possuem parentes próximos que desenvolveram casos de câncer ou doenças degenerativas. Já para casais que pretendem ter filhos, é mais indicado para aqueles que têm uma idade avançada, que possuem alguma doença genética, que já tenham filhos com malformação ou anomalias, ou que possuam algum grau de parentesco entre si.

As dificuldades da prática

Aconselhamento genético

A principal dificuldade encontrada para a prática do programa de aconselhamento genético, especialmente quando falamos em disponibilizá-lo através do Sistema Único de Saúde (SUS), dá-se ao fato de que o Ministério da Saúde indica que os exames sejam realizados por médicos geneticistas, especialidade ainda rara no Brasil.

O geneticista é especializado no campo da genética, onde estuda todas as informações englobado nos genes.

Para tornar-se um geneticista o profissional investe anos em estudo e aperfeiçoamento, podendo graduar-se em:

  • biotecnologia, biomedicina, bioquímica ou biologia;
  • medicina veterinária ou humana;
  • engenharia florestal, química ou genética.

Após a formação, devem cursar mestrado ou doutorado com foco em genética. Além disso, aos profissionais da medicina, precisam realizar uma especialização ou residência também na área da genética.

Por que o aconselhamento genético deve ser oferecido pelo SUS?

Aconselhamento genético

Sabemos que o aconselhamento genético é um programa importante que busca oferecer melhor qualidade de vida ao paciente.

Mas, por que ele deve ser oferecido pelo SUS? Bom, é simples. O artigo 5°, I da Lei Orgânica da Saúde, determina que o Sistema Único de Saúde tem por objetivo a identificação e divulgação dos fatores condicionais e determinantes da saúde. Saiba mais sobre este artigo no texto: Lei Nº 8.80, de 19 de setembro de 1990.

Desta forma, é simples compreender que através do aconselhamento genético é possível obter uma diagnose precisam antecipada, detalhada e irrevogável sobre qualquer condição genética ou hereditária de um paciente. Favorecendo o tratamento e sua qualidade de vida.

Através do aconselhamento genético também é possível esclarecer ao paciente os possíveis cursos que a doença pode assumir. Trazendo até ele as informações necessárias para enfrentar qualquer desafio que possa surgir.

O tratamento, desta forma, poderá ser mais assertivo, uma vez que os procedimentos médicos podem previamente ser adotados. O tratamento pode passar de combativo para preventivo, preparando o paciente para as dificuldades que encontrará lá na frente. Desta forma, os abalos emocionais são menores.

Além disso, através de um diagnóstico realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) o paciente passa a contar com toda uma equipe multidisciplinar disposta a auxiliar no tratamento.

Quando procurar o aconselhamento genético?

Ao apresentar alguma das condições abaixo:

  • Se existe enfermidades hereditárias na família;
  • Foi submetido a qualquer tipo de elemento que possa alterar de alguma jeito o material genético (ex.: radioterapia);
  • Está em grupo de riscos populacionais que é evidenciado alguns tipos de doenças genéticas, como por exemplo, descendentes judeus asquenazes, povos do mediterrâneo e afrodescendentes;
  • Casos de cânceres entre parentes próximos ou cujo surgimento tenha ocorrido no paciente em idade prematura àquele tipo de cancro.

Para engravidar preciso realizar aconselhamento genético?

Aconselhamento genético

Somente apresentando algum dos itens abaixo:

  • Ser parente de seu(ua) companheiro(a);
  • Ter mais que 35 anos ou o parceiro com mais de 60;
  • O futuro pai ou a futura mãe ter sido exposto a grandes doses de irradiação;
  • Quando a mulher tiver algo que afete o desenvolvimento do feto, como diabetes;
  • Um dos parceiros possuir uma doença hereditária;
  • Se já tiveram um bebê algum tipo de malformação, deficiência ou enfermidade genética;
  • Dificuldade de engravidar de ambos parceiros;
  • Histórico de aborto repetidos entre o casal;
  • Óbito no nascimento ou nos primeiros dias do bebê sem motivo constatado.

Veja esta reportagem sobre o assunto:

Referências bibliográficas:

PARA QUEM. “ACONSELHAMENTO GENÉTICO: VOCÊ JÁ FEZ O SEU?”; Instituto Vidas Raras. Disponível em < http://www.vidasraras.org.br/site/vidas-raras/noticias/490-aconselhamento-genetico-voce-ja-fez-o-seu >. Acesso em 28 de março de 2018.
PINHEIRO, Chlóe. “Entenda o que é o aconselhamento genético que pode chegar ao SUS”; Bebê. Disponível em < https://bebe.abril.com.br/gravidez/aconselhamento-genetico-sus/ >. Acesso em 28 de março de 2018.
SOUZA, Bianca de. “ACONSELHAMENTO GENÉTICO, QUANDO PROCURAR?”; Vila Mulher. Disponível em < http://vilamulher.uol.com.br/familia/planejamento/aconselhamento-genetico-quando-procurar-8-1-52-74.html >. Acesso em 28 de março de 2018.
CONFORME O. “Objetivos e Diretrizes do SUS”; Portal Educação. Disponível em < https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/direito/objetivos-e-diretrizes-do-sus/17195 >. Acesso em 28 de março de 2018.
RASKIN, Salmo. “Aconselhamento genético: você já fez o seu?”; Veja. Disponível em < https://veja.abril.com.br/blog/letra-de-medico/aconselhamento-genetico-voce-ja-fez-o-seu/ >. Acesso em 28 de março de 2018.
CANHAS, Isabela. “Geneticista”; Info Escola. Disponível em < https://www.infoescola.com/profissoes/geneticista/ >. Acesso em 28 de março de 2018.

.
O PROJETO. “Projeto garante aconselhamento genético no SUS”; Conselho Federal de Medicina. Disponível em < http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=6406:&catid=3 >. Acesso em 28 de março de 2018.
SANTOS, Vanessa dos. “Aconselhamento genético”; Brasil Escola. Disponível em < https://brasilescola.uol.com.br/biologia/aconselhamento-genetico.htm >. Acesso em 28 de março de 2018.
A GENÉTICA. “Aconselhamento Genético”; Pró criar Medicina Reprodutiva. Disponível em < http://www.procriar.com.br/aconselhamento-genetico >. Acesso em 28 de março de 2018.
POLATO, Amanda. “Aconselhamento genético chega ao SUS, mas política enfrenta críticas”; Época. Disponível em < https://epoca.globo.com/vida/vida-util/saude-e-bem-estar/noticia/2014/02/baconselhamento-geneticob-chega-ao-sus-mas-nova-politica-enfrenta-criticas.html >. Acesso em 28 de março de 2018.

E para finalizar, mais links sobre o assunto:



Se você gostou desse artigo, clique nos ícones de compartilhamento abaixo para ajudar a divulgá-lo.
:)

Contato

Redação do site

Técnico em Enfermagem em Site
Site focado na profissão Técnico em Enfermagem com eixo tecnológico em ambiente e saúde.
Temos qualificação profissional em APH - Atendimento Pré-Hospitalar na qualidade de aluno.
A nossa redação têm Certificado de Honra ao mérito do Coren-RS como melhor desempenho no curso.
Redação do site
Contato

Últimos posts por Redação do site (exibir todos)

Compartilhe:
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *